Unidades de Polícia Pacificadora do Rio recuperaram 198 cargas em 2017

Rio de Janeiro - Forças de segurança ocupam ruas próximas ao Complexo do Lins, na zona norte, na Operação Onerat, deflagrada para coibir roubos de cargas e o crime organizado (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Operação no Complexo do Lins, na zona norte da capital fluminense, para coibir roubos cargas e o crime organizado Arquivo/Tomaz Silva/Agência Brasil

O patrulhamento nas áreas de responsabilidade das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) encerrou 2017 com 1.360 presos, 419 menores apreendidos e 250 armas recolhidas. De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o aumento durante o ano dos casos de roubo de cargas no Rio de Janeiro levou a uma mudança no planejamento, para reprimir este tipo de crime.

Do início do ano passado até o domingo (31), foram recuperadas 198 cargas. A região com o maior número de recuperações foi a das áreas das UPPs Vila Kennedy (com 47 recuperações), na zona oeste do Rio, seguida da área do Complexo do Lins (46) e da Camarista/Méier (27), ambas na zona norte da cidade.

Grande parte das cargas recuperadas pelas UPPs do Complexo do Lins foi em 15 operações realizadas em dezembro, segundo a coordenação. Além disso, os policiais desarticularam um grande galpão para armazenagem de produtos roubados.

Detalhamento

A prisão de 1.360 pessoas por diversos crimes ocorreu após o trabalho de identificação e captura de criminosos, que se intensificou ao longo do ano. Desse total, 421 eram foragidos do sistema penitenciário. Os 419 menores apreendidos tinham envolvimento em práticas criminosas.

Em relação às 250 armas apreendidas pelas UPPs, havia fuzis, metralhadoras, escopetas, pistolas e revólveres e ainda 211 carregadores e 2412 munições. Também foram recolhidas 109 réplicas idênticas de armas de fogo.




%d blogueiros gostam disto: