Prefeitura já havia identificado falhas na segurança contra incêndio

Representantes da prefeitura de São Paulo foram ouvidos nesta segunda-feira (7) pelo Ministério Público (MP) estadual e confirmaram o conteúdo do relatório técnico elaborado por eles, que identificava problemas de segurança contra incêndio no Edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou no dia 1º deste mês, após um incêndio. Segundo a prefeitura, já se sabia que era preciso desocupar o prédio, e estava sendo negociada com os moradores uma saída pacífica.

O relatório apontando problemas de segurança contra incêndio foi elaborado pelos engenheiros da Coordenadoria de Atividade Especial e Segurança do Uso (Segur), que prestaram depoimento hoje no MP. “O engenheiro da prefeitura regional da Sé reiterou e ratificou ao Ministério Público os laudos de vistorias realizadas em 25 de novembro de 2016, 9 de março e de 7 de novembro de 2017, que indicaram que não havia dano estrutural ao Edifício Wilton Paes de Almeida. Em vistoria visual e em conformidade com as normas técnicas vigentes, não foram encontradas patologias, como deflexões, trincas ou fissuras”, acrescentou a prefeitura.

O MP ouviu os representantes da prefeitura das 9h até o final da tarde desta segunda-feira, para apuração das circunstâncias do desabamento do edifício, situado no Largo Paissandu, no centro da cidade.

O promotor Marcus Vinicius Monteiro dos Santos, da Promotoria de Habitação e Urbanismo do MP, que estava à frente de um inquérito que apurava a existência de riscos no edifício antes do desabamento, continua agora com as investigações sobre o incidente. Santos havia solicitado, em março passado, o arquivamento do inquérito.

Buscas e missa

Até a tarde de hoje, os bombeiros continuavam com o trabalho de busca de seis moradores do prédio que estão desaparecidos. Até agora, apenas o corpo de Ricardo Pinheiro, foi retirado dos escombros. O corpo foi encontrado na sexta-feira (4) e liberado na manhã de sábado (5) pelo Instituto Médico Legal (IML) para sepultamento. Ricardo estava sendo resgatado pelos bombeiros, quando o prédio veio abaixo.

Na noite desta segunda-feira (7), na Igreja Santa Ifigênia, foi realizada a missa se sétimo dia pelas vítimas do desabamento. A cerimônia foi celebrada pelo arcebispo de São Paulo, cardeal dom Odilo Pedro Scherer.




%d blogueiros gostam disto: